12/07/2017

Sessão [CONTÍCULOS 02] Eu “aprendi” a escrever...

 @Psicodelication - Arte & Psychedelic


[...] Eu “aprendi” a escrever...
Quando comecei a viver o amor e não sofrer por ele. Quando comecei a olhar os acontecimentos da vida, bons ou ruins como capítulos de um belo louco livro, onde o sofrimento se expurga e as alegrias se espalham. Eu “aprendi” a escrever... Quando gostei da minha imagem refletida no espelho pela primeira vez, quando me vi nua na normalidade dos corpos, com marcas e histórias. Quando me reconheci, reconheci o outro, como pessoa, como escritores inconscientes de sua própria história. Atravessando céus e infernos em buscas decadentes em uma certeza pálida. Às vezes um descanso no purgatório para tentar alinhar a vida e depois voltam a peregrinar na sua existência. Se eles tivessem consciência da obra que criam, escreveriam em papeis, muros no céu tudo que vivem, tudo que sentem. Eu acredito piamente que os sofrimentos psíquicos e outros males criados por nós não existiram mais, pois tudo seria linhas, versos, contos, romances, prosa. Eu “aprendi” a escrever... Quando tive a certeza que só existem incertezas, por isso é necessário o arriscar – alguma coisa pode dar certo. Eu “aprendi” a escrever assim... Vendo o real em tons surreais, vendo o homem e o mundo cru, mas os beijando lascivamente com poesias. Acho que "aprendi" a escrever quando "aprendi" a viver, porém só acho, sabe... Incertezas.

Tais Medeiros.






Nenhum comentário: