06/07/2017

Carpe Diem - Me dê tudo que tenho direito... O pau, o corpo, as juras, as brigas os risos, os abraços, as noites de torpor e os dias de regalos não me negue nada, nem mentiras nem verdades "o resto é sorte e azar." [TEXTICULO 72]

Arte: Nudegrafia


Sabe aqueles dias que você acorda com uma vontade de chupar um pau? Mas não um pau qualquer. Sabemos muito bem qual é o objeto desejo. Ele tem nome, endereço, CPF, redes socais é o tipo de pau que traz saudade, mesmo que deixe angustias a serem afogadas em copos de destilados. As doses mais fortes para os corações mais intensos.

Por favor, não gaste sua moralidade comigo, pensando que sou dissimulada, transgressora uma PUTA por desejar um belo pau de café da manhã, até porque as putas sim sabem viver. E eu? Ainda estou aprendendo do que somos feitos - carne, suor e tesão.

Ás vezes sucumbimos as lagrimas, porém faz parte do show da trágica comédia do ser humano. De certa forma tudo nessa vida dói não é fácil viver e se fosse acredito que seria o tédio dos tédios. Então por que não viver e sofrer de prazer? A gente rola no inferno pensando estar no céu e tudo nos é valido, tudo nos cabe. Do amor eu quero tudo e nada deixo.

E eu ainda sinto seu cheiro por toda casa, pelo meu corpo até meu hálito é você. Eu beberia você de novo e novo sem medo da ressaca, sem medo da dor da partida já anunciada. Somente me importa o agora "Carpe Diem."

Esse negócio de se resguardar apenas serve para mulheres pós-parto, esse negócio de cautela, de ir devagar com medo de se magoar, se apaixonar apenas serve para quem não sabe amar ou para quem não se ama. Me dê tudo que tenho direito... O pau, o corpo, as juras, as brigas os risos, os abraços, as noites de torpor e os dias de regalos não me negue nada, nem mentiras nem verdades "o resto é sorte e azar."

Eu me renovo todos os dias, todas as noites, a cada beijo, a cada olhar, cada troca de afeto que tenho com os outros e comigo. Meus amores são todos únicos, mas não me param. Não consigo alimentar medos e traumas apenas sei alimentar tesão, paixões e boas lembranças, enxugar o choro e seguir para novos horizontes. Sempre em frente de cara limpa, coração cheio e mente barulhenta.

Tais Medeiros. 



Tudo é questão de obedecer ao instinto.
Que o coração ensina a ter, ensina a ter.
Correr o risco, apostar num sonho de amor.
O resto é sorte e azar.
Tudo é questão de não se negar nada.
A nenhuma força que dê luz, que dê luz.
Seja de Deus ou do Diabo se for claro.
É só pagar pra ver, é só pagar pra ver.
E se por acaso, doer demais.
É porque valeu.

Nenhum comentário: