29/06/2017

Sessão Poema - Parte LVIII [Transborda em mim.]

Imagem de internet.


Eu te procuro no silêncio.

Mas apenas encontro o vazio.

Um buraco negro.

Onde tudo se perde e nada se encontra.

Eu te perdi ali...

No barulho da sua mente.

Na escuridão dos espíritos.

No julgamento das pessoas.

Confundindo liberdade.

Orgias não são propostas a serem feitas em mesas de bares;

Muito menos em festas que não são minhas.

Desculpe...

Eu me excedi.

Havia muito tempo que eu não admirava o sol.

Que coração não batia além de bombear sangue.

Que não via sorrisos em olhares.

E a alma fica calma.

Só em vê o outro dormi.

Eu quis me libertar e nos matei.

Eu me desesperei...

Não sei lidar com essas emoções.

É sempre, sempre a minha primeira vez.

Nunca sei o que fazer, como fazer, como agir.

Meto os pés pelas mãos e saio improvisando.

E não adianta, não é?

Dizer que será diferente.

Eu também não posso prometer nada.

Mesmo que eu quisesse dosar.

Meu espírito não me cabe.

E eu não quero lhe dar esse fardo.

Porém, nem tudo é desespero.

Ache algo que lhe cative, que valha a pena, que te faça ficar...

Transborda em mim.

Tais Medeiros.








Nenhum comentário: