13/03/2017

Sessão Poema - Parte XLIX [Muros, arames farpados e as duvidas de ser]

Pink Floyd – The Wall.
Existem tantas palavras em mim...
Tantos pensamentos e sentimentos.
Contudo não consigo liberta-los como deveria...
                                                    como poderia.
Há sempre a presença sólida da insegurança.
Barreiras que não conseguimos transpor.

Existem muros cercados com arames farpados nas relações.
E a gente tenta ultrapassar...
Corta o arame mesmo que nos rasgue;
Pulamos o muro mesmo que quebre as pernas.
A gente tenta...
Ou pensa que tenta?
Difícil mesmo é derrubar nosso muro de Berlim.
Interno, inconsciente, pesado e cinza.
Saber lidar com o “Seja você mesmo.”

Como ser você mesmo?
Quem é você mesmo?
... é muito mesmo
Talvez esse seja o problema.
Não somos os mesmos;
Não somos naturais.
Apenas nossos traços físicos, genéticos...
                                              apenas a biologia é.

E ainda tem quem tenta mudar isso.
Esquisito não?!
A única coisa que podemos dizer ser “a gente mesmo.”
Tentamos modificar;
E ás vezes inutilmente.

Mas tudo muda.
Tudo sofre influencia do meio.
TV
Internet
Cultura
Política
Discursos e...
Pessoas.

Será que o que eu penso é mesmo meu?
Será que essa realidade é mesmo minha?
Será que o que sinto é mesmo meu?
Será que eu sou eu mesma? 
Ou sou apenas mais um enganado em MATRIX?
Pensando ter controle.
Quando na verdade;
Acontece um massacre em outro plano
Uma guerra dentro de mim.

Tais Medeiros

Nenhum comentário: