25/03/2017

Sessão poema - Parte L [Não é assim?! “Bombeia sangue coração, bombeia...”]






Um garoto...

Apenas um garoto.

De coração límpido, mas a mente em torpor.

Com vontades passageiros.

Desejos intensos.

Mas depois da conquista, se desfaz.

Como o vento se desfaz das cinzas de um corpo cremado.

Apoia-se na incerteza.

Suas muletas, sua fuga.

Vive para se punir.

Eu não sei o que é verdade em você.

Engana mesmo sem querer enganar.

Engana a si mesmo...

Se ver um crápula diante do espelho.

Diz ser ruim, manipulador...

E eu?

Eu vejo apenas um garoto.

Perdido em seus devaneios.

Afogando-se no seu orgulho.

Você não vê?

Acredite...

Mesmo tortos eu te enxergo.

Meus olhos só me enganaram uma vez...
                                     e eu que permitir.

Às vezes canso de prever os fracassos.

Então jogo os dados..
                   apesar de saber que você prefere o carteado.

Estou entregando o jogo.

Não vejo verdade aqui...

Não vejo carinho, não vejo esperança.

Não sigo migalhas.

Persistir demais.

No desespero de calar a solidão que inspira.

Não tem como...

Nasci para isso.

Escrever memórias, tristezas, alegrias e ilusões.

Deixando a mente gritar e o coração bombear.

Não é assim?!

“Bombeia sangue coração, bombeia...”

Estamos mais para lá do que para cá.

Correndo na corda bamba...

Que insistimos em chamar de vida.

Tais Medeiros.









Nenhum comentário: