08/02/2017

Sessão poema - Parte XLIII [Vai meu menino vadio.]

imagem de internet

Chico escreveu e Bethânia cantou...
"Vem meu menino vadio."
Mas nossa canção será outra...
Vai!!!

Vai meu menino vadio.
Viver o que quer...
          o que te faz feliz.
Na alegria dos seus sonhos.
Vislumbrar outras paisagem.

Invejo a ti, meu menino.
Que parte para seus desejos sem medo.
Munido de amor, paz e coragem
Vai...

Ser um fiel Sagitariano.
Que se joga no desconhecido.
Tudo é carnaval, tudo é um talvez.
Não podemos saborear duvidas.
O mundo é sua casa.

Vai ser poesia no anoitecer de outros horizontes.
E o nascer do sol em novos dias.
Nosso sexo não é despedida.
É um até logo sem data.
A gente nunca sabe;
Para onde nos leva essa vida.
Ela tem tantos caminhos.

Um dia a gente se reencontra.
Nos escuros dos quartos
                     ou em mesas de bares, dentro de um abraço.

Vai meu menino vadio.
Ser luz nesse mundo de pessoas cinzas.
Leve amor, por favor.
E lembranças de mim.


Tais Medeiros. 

Vem, meu menino vadio
Vem, sem mentir pra você
Vem, mas vem sem fantasia
Que da noite pro dia
Você não vai crescer
Ah, eu quero te dizer
Que o instante de te ver
Custou tanto penar
Não vou me arrepender
Só vim te convencer
Que eu vim pra não morrer
De tanto te esperar
Eu quero te contar
Das chuvas que apanhei
Das noites que varei
No escuro a te buscar
Eu quero te mostrar
As marcas que ganhei
Nas lutas contra o rei
Nas discussões com Deus
E agora que cheguei
Eu quero a recompensa
Eu quero a prenda imensa
Dos carinhos teus


Nenhum comentário: