16/02/2017

O tempo trata de mostrar quem é quem. Tempo maldito que brinca com a gente como uma criança brinca com a comida, mas só brinca com a comida quem tem o que comer. Quem tem a segurança de uma dispensa cheia forrada de opções não dá valor ao que está diante dos olhos. Às pessoas de certa forma também são assim, vestidas em carcaças se escondendo em máscaras. Desculpe pela analogia sem pé nem cabeça, mas hoje na minha meteorologia acordei garoando, marcando 30 graus de pensamentos e com relâmpagos de tristeza. [TEXTICULO 64]

O tempo trata de mostrar quem é quem. Tempo maldito que brinca com a gente como uma criança brinca com a comida, mas só brinca com a comida quem tem o que comer. Quem tem a segurança de uma dispensa cheia forrada de opções não dá valor ao que está diante dos olhos. Às pessoas de certa forma também são assim, vestidas em carcaças se escondendo em máscaras. Desculpe pela analogia sem pé nem cabeça, mas hoje na minha meteorologia acordei garoando, marcando 30 graus de pensamentos e com relâmpagos de tristeza. No escuro do quarto comecei a reviver fatos, coisas que eu não via e agora vejo dá sentido às conjunturas passadas. Explica tanto desencontro que temos.

Eu volto a falar da covardia, não a de não tentar, mas há de esconder sentimentos, alimentar infortúnios do passado. Você vive lá remoendo culpas que talvez não sejam apenas suas, todo mundo tem uma parcela de culpa do que acontece com a gente mesmo que mínima. Eu idealizei você, erro meu, eu sei. Idealizei forte, apaixonado, tarado e decido, Apenas esqueci um detalhe – Você é ser humanos.

Eu escuto seus gritos de socorro e vejo em seus olhos o desejo de se libertar de tudo que lhe prende, sufoca. Arranque essa máscara de cara legal essa carcaça de assumir tudo que existe de ruim no mundo. Somos representantes apenas de nós mesmos nesse plano. A única gentileza que podemos fazer é não enganar, usar, humilhar o outro por prazer. Se tudo que você viveu deixou gosto amargo e hora de escrever uma nova história. Não somos mais o que éramos ontem, imagina de anos atrás. 

Tudo muda... 

Porém não é preciso deixar que o tempo ou Deus faça isso sozinho. Somos agentes de mudanças também. Eu quero que fique e lute pela mudança que deseja ser, mas não é meu querer que regra o mundo – Infelizmente...

Em minha mente tudo no fim dá certo, mania de ter fé na vida.

Já que pretende ir espero que vá completo, transbordando amor por você e em paz. Não habita mais em mim o desejo de posse o egoísmo de querer alguém de qualquer forma ao meu lado. Quero alguém com vontade de ficar de lutar a cada dia por essa tal felicidade que ninguém vê, mas sente. Ela se conquista todos dias.

Eu não lhe peço desculpa por não supri suas dores e por não tocar sua essência, muito menos te culpo, não existem culpados, apenas vitimas. Somos vitimas dessa doença de existir em graus diferentes, eu quero tudo e você quer nada só que nada pode ser tantas coisas ás vezes...

Penso que você precise fazer diferente do que anda fazendo, como mesmo diz, há tanto tempo. Esquecer o que pensa que sabe, zerar tudo e renascer. Fugir no desespero não ajuda a gente, acabamos sempre voltando para onde desejamos sair. Ahhh! Mas quando a gente se liberta das dores para de alimentar fracassos e de correr de encontro a morte qualquer lugar vira casa e as raízes se espalham dando base para linda e forte árvore que seremos um dia. 

Tais Medeiros. 

Não vim até aqui
Pra desistir agora
Entendo você
Se você quiser ir embora
Não vai ser a primeira vez
Nas últimas 24 horas
Mas eu não vim até aqui
Pra desistir agora
Minhas raízes estão no ar
Minha casa é qualquer lugar
Se depender de mim
Eu vou até o fim
Voando sem instrumentos
Ao sabor do vento
Se depender de mim
Eu vou até o fim

Nenhum comentário: