13/01/2017

Sessão poema - Parte XXXV [Tem dia que a vida parece uma foda mal dada.]

Arte: Frida Castelli


Existem dias que a vida parece uma foda mal dada.
E não importa quanto álcool você beba.
Quantos baseados fumem.
Não importa quanta ilegalidade se meta.
Nada sacia nada transborda.
Pode cair de boca nas coisas...
                             preliminares.

Parece que aquele dia não foi feito para gozar.
Em nenhum dos campos da vida.
Material;
Emocional;
Sexual;
Profissional...
Pode ser o “al” que for.
Não é o dia.

Até sua própria companhia te inferniza.
Seu toque íntimo ilícito, lascivo...
                            também não te basta.
Então é melhor parar.
Fechar a janela...
            a porta...
           desligar o computador...
           o celular.
Desmarcar encontros, café, transas.

Se for para me(ter) que seja por completo.
Não por metade e sem desejo.
Melhor isolar-se e deixar o mundo pensar que morremos.
Deixar um pouco de solidão entrar.
Ser igual uma lagarta.
Que se guarda em seu casulo.
Para por as coisas no lugar
Mas retorna como uma linda borboleta.
Beijando rosas e cravos.
Dançando acima do caos.

Tem dia que a vida parece uma foda mal dada.
Pense nisso...
E masturbe ideias...
                   goze ações.
Temos que passar por isso.
Para beber na fonte dos prazeres.
Temos que passar por tantas coisas.
Se quisermos alcançar orgasmos múltiplos.

Tais Medeiros.





Nenhum comentário: