02/01/2017

Carta aberta - Não, meu bem... Sou mais perdida que filho de puta no dia dos pais. Não sabia o que estava fazendo, não sei o que fazer e não sei o que faço agora. Não mentir para você, sempre disse que era maluca. Meto o pé e saio no improviso, talvez este seja o problema, pouca organização e muito improviso de vida. [TEXTICULO 54]

Sabe, o problema não foi a falta de sentimento. O problema está sendo o meu comportamento diante dos fatos. Caguei em tudo e ainda sai pisando na merda, não contente ainda estou rolando nela. Não importa se me iludi com palavras iniciais, o problema nunca foi você, sou eu.

Eu e esse jeito maluco e inconsequente, eu nunca cresci, estou até tentando, mas ando sem progresso. Realmente, tens que parti, precisa de paz, alguém que equilibre não que confunda mais. Eu queria realmente culpar meus excessos, a bebida, mas me disseram um dia.

Não é ela, é você que já vem podre por dentro.

Há quem diga que esse meu jeito é meu, não adianta tentar mudar, nasci assim, artista é tudo maluco, aceite. Estranho, não sinto essa arte, não sinto essa alma de ser criador, poeta. Apenas sinto a perturbação, síndrome de culpa.

Você me disse uma vez...

Você é tão madura, bem resolvida, não sente vergonha de propor orgias em mesas de bares...

Não, meu bem... Sou mais perdida que filho de puta no dia dos pais. Não sabia o que estava fazendo, não sei o que fazer e não sei o que faço agora. Não mentir para você, sempre disse que era maluca. Meto o pé e saio no improviso, talvez este seja o problema, pouca organização e muito improviso de vida.

Gostaria de prometer tanta coisa, mas sei que sempre vou precisar de segundas chances. Sempre isso será necessário em todos meus relacionamentos. Me aceitem, por favor, então eu também aceitarei vocês. Por que se existe algo verdadeiro em mim é que sei odiar pouco, mas não sei amar menos.

Tais Medeiros.

Senti saudade, vontade de voltar
Fazer a coisa certa
Aqui é o meu lugar
Mas sabe como é difícil encontrar
A palavra certa
A hora certa de voltar
A porta aberta
A hora certa de chegar

Nenhum comentário: