29/12/2016

Sessão poema - Parte XXXI

Arte: Thomas Saliot


E na hora do desespero...

Abro as conversas antigas para me enganar.

Fico imaginando...

Será que você faz o mesmo?

Tão boba eu...

Neste comportamento de adolesce.

A nossa foto aqui, não queimou.

Ela continua no mesmo porta retrato.

Tiro a poeira para não virá passado

Pensei que seria fácil esquecer...

Como esqueci os fatos fatídicos daquela noite.

Não existe bebida que apague.

Incompetência minha...

Querer apagar fogo com álcool.

Se eu pudesse voltar...

Faria quase tudo, menos te magoar.

Mas lamentos não vão sanar as feridas.

Não vão cicatrizar essas marcas.

Que não foram feitas com amor.


Tais Medeiros.





Nenhum comentário: