10/12/2016

Ainda lembro [TEXTICULO 50]

Eu ainda lembro o que me atraiu em você. Sua conversa boa, seu jeito tímido, seu medo de gaguejar na fala, seu carinho. Sua poesia sem querer nas conversas do inbox e seus olhos.

A primeira vez que eles pousaram em mim, tiraram todo peso das minhas costas. Um olhar transparente que não conseguia esconder à ansiedade do encontro. Atraiu-me até sua bagunça, quando cruzei a porta da sua casa, a porta da sua vida. A vida é um bagunça? Não sei, mas não me preocupo agora e muito menos depois.

Gosto dos seus picos de loucuras, de quando você até ébrio fica com vergonha de dizer que talvez esteja gostando de mim. Gosto como você sonha, planeja, me fez planejar também os meus próximos anos. Não é poesia o que faço, eu não vejo beleza em tudo e sei que não somos a perfeição, porem quem precisar ser? Gosto e gosto de graça.

Gosto de como me toca, gosto do simples pegar nas mãos e de como me olha... Como se eu fosse mesmo importante. Gosto até das piadas que você insiste em estragar, da sua coleção de vinil, da caixinha das coisas de bolso, gosto até das dores que carrega.

Não precisa ser boa companhia sempre, mas precisa ser sempre você. Se um dia tiver vontade de mudar, mude, apenas vai agregar mais valor, mais coisas para eu gostar em você. Eu costumava acordar garoando por dentro e me parece que essa garoa estiou.

Não se preocupe amor. Não é obrigação sua cuidar de mim ou me fazer feliz. Essa luta  nós que temos que lutar. Eu só queria que você soubesse, que ainda me lembro...

Tais Medeiros.

Ainda lembro o que passou
eu você em qualquer lugar
dizendo "onde você for eu vou"
e quando eu perguntei
ouvi você dizer
que eu era tudo o que você sempre quis
mesmo triste eu estava feliz
e acabei acreditando em ilusões
eu nem pensava em ter
que esquecer você

Nenhum comentário: