16/11/2016

Eu poderia jurar que tudo mudou, mas me disseram um dia: - Quem jura mente. Então pensei em prometer, então disseram: - Quem promete não cumpre. Nesta guerra de ditos populares prefiro apenas viver e tentar não perder... [TEXTICULO 48]

- Você tem medo do que?

Medo de perder...

A cabeça, o amor, o respeito, o ar e as pessoas maravilhosas que conquistei pelo caminho. Perdi algumas, umas com razão outras talvez sem. Para falar a verdade acredito que tudo que perdi teve alguma ajuda minha. Não existe pessoa totalmente inocente, totalmente certa, totalmente errada, existem pessoas...

Cada uma em seu momento, cada uma passando por algo, com medo ou apenas desejando, desejando ser feliz. Felicidade é isso que nos torna seres comum, iguais. Estamos todos em busca disso, traçando caminhos tortos. Não justifica ter ações baixas para isso, porem, ás vezes as pessoas não sabem muito bem como percorrer esse caminho, todo dia somos um novo alguém.

Tenho medo de perder a vontade também... Vontade de conquistar novas pessoas, vontade de amar, vontade de dar a mim e a outro uma segunda chance de ser uma pessoa melhor. Medo de perder a vontade da vida, medo de julgar e de ser julgada. A segunda parte não depende de mim, posso ao menos lutar contra primeira.

Somos mais medos que coragem, pode listar rolos e rolos de papel falando sobre eles. Nada adiantaria, eles ainda estarão aqui. O que mais me amedronta é perder valiosas conversas, bobas ou de cunho intelectual, perder risos, abraços, companheirismo e lealdade perde um amor, perde um amigo, um amor amigo.

Já perdi muito... Consigo contar nos dedos as vitórias, mas elas não me consolam, lembro mais do que passou, de momentos em que coloquei tudo a perder. A única certeza é que nada foi feito por mau, apenas tive a ilusão de ser o certo.

Eu poderia jurar que tudo mudou, mas me disseram um dia:

- Quem jura mente.

Então pensei em prometer, então disseram:

- Quem promete não cumpre.

Nesta guerra de ditos populares prefiro apenas viver e tentar não perder. Por que é apenas isso que temos, TENTATIVAS e a esperança que tudo vai acabar bem.


Tais Medeiros. 


Toda vez que eu olho no espelho a minha cara
Eis que sou normal e isso é coisa rara

Nenhum comentário: