16/09/2016

Sessão poema - Parte XIX [Um poema para Nathalia]

Ei! Mulher...
Não enxugue essas lágrimas.
Há tempos ao seu lado, e nunca a vi chorar.
Deve está cheio ai dentro.
Deixa vazar...
A enchente na cidade é um caos, em nós, é apenas alívio.
Deixa correr, deixa limpar.
Faz muito tempo que é forte.
Forte para outros...
E para você? Sobrou alguma coisa?
Viu?!
Não doeu nada lavar à alma.
Isso não é fraqueza, é renovação.
Agora está pronta, pronta para tudo, pronta para você.
Os outros já sabem andar sozinhos.
Sorria... Levanta...
Existe um mundo inteiro para conhecer.
Dentro e fora de você.
Vai mulher!!!
Vai ser menina, aquela que você não teve tempo de ser.
Menina nas descobertas que todos os dias têm para nos oferecer.
Ame sempre como se fosse a primeira vez.
A gente nasce todo dia.
E se precisar...
Chore de novo, mas nunca esqueça de rir.
Até depois do fim.

Tais Medeiros

Nenhum comentário: