02/06/2016

Ele sufocou meu não no banco de trás do carro, no muro de uma rua sem saída, ele não me deu escolha no barraco, muito menos respeitou minha vontade. Rasgou minhas roupas e me penetrou mesmo com lágrimas nos olhos, mesmo em choque, incrédula que isso realmente podia estar acontecendo. [TEXTICULO 37]


- É sua culpa... Você saiu de casa à noite, você voltou tarde, você foi àquela balada, você bebeu, você usou droga, você já participou de orgia, você usou roupas curtas, dançou de forma lasciva. Foi por isso que o pobre garoto se aproximou, investiu. Você gostou você sorriu... Então ele te agarrou, mas você o beijou, retribuiu então você quis. É sua culpa! Porque beijou se ia mudar de ideia?
Ele sufocou meu não no banco de trás do carro, no muro de uma rua sem saída, ele não me deu escolha no barraco, muito menos respeitou minha vontade. Rasgou minhas roupas e me penetrou mesmo com lágrimas nos olhos, mesmo em choque, incrédula que isso realmente podia estar acontecendo.

- Você disse que faria, então vai fazer, mesmo sem querer.

- Por que você estava lá? Por que saiu?

- Ela mereceu... Ela bebe, fuma, escreve contos indecentes, poemas eróticos, posta fotos libertinas e ainda fala de política... Ela mereceu, disse que gosta de amor livre, que é dona do próprio corpo. É gente ruim, e coisas ruins acontecem com gente ruim “é o mundo justo.”

- Você acredita? Ela defende aquela vadiazinha que deu para trinta e três no morro. Tão puta que dá até dormindo. As feminazis dizem que é estupro, que estava inconsciente, mas é tudo safadeza, são tudo igual, tudo puta. Se estivesse vindo do trabalho, da escola, da igreja, então seria estupro. Mulher assim direita que é estuprada, mulher frágil, rainha do lar, as outras se oferecem.

- Mas menina, ela podia ter evitado...

- Eles, também não podiam?

- É diferente, eles são homens, movidos pelos instintos.

- Porque não falamos do agressor?

- Ahhh! Ela deve ter feito alguma coisa pra eles... Ela gostava de uma bagaceira. 

- Sabe? Se eu não quero transar e meu marido me força... Eu estou sendo estuprada ou faltando com a minha obrigação de mulher?

- Foi estupro, estupro...

- VITIMISMO, VITIMISMO, VITIMISMO...

- Tem certeza que você não deu motivo? Vai abrir mesmo o BO? Vai estragar a vida do rapaz?

- Quem mandou você pensar que tem direito a liberdade? Ir e vir, vestir, transar, dizer NÃO? Na verdade, quem mandou você pensar que pensa? São todas assim... Fazendo de vítima, agora? Quem mandou menina?... Quem mandou menina?... Quem mandou menina?

Você sair de casa...

Tais Medeiros.

E eu que tenho medo até do seu olhar
Mas o ódio cega e você não percebe
A lembrança do silêncio
Daquelas tardes, daquelas tardes
Da vergonha do espelho
Naquelas marcas, naquelas marcas
Havia algo de insano
Naqueles olhos, olhos insanos
Os olhos que passavam o dia
A me vigiar, a me vigiar
Camila(s)
Camila(s), Camila(s)

Nenhum comentário: