12/04/2016

Mas você não quer viver em paz, não é? Quer fogo e veneno, quer ver a alma manchar. Viver no céu não satisfaz você quer mesmo viver na terra, quer que eu te sufoque com minhas pernas, meus braços, meus dramas... Os meus defeitos. É isso que você quer... [TEXTICULO 34]

Você vive criticando meu jeito. Diz que eu não sei lidar com as coisas, que sou o desequilíbrio, uma grande desestabilidade emocional. Irrita-se com meus "Erres" (R), sotaque de lugar nenhum, acha estranho meu olho livre, estrábica desde que era um esperma.

Diz não aguentar o meu falar alto, quando na verdade só estou projetando a voz. Não suporta quando te corto a fala ou quando caio nos clichês dramáticos da garota interrompida. Você nunca cai na minha, isso eu acho graça. 

Aponta-me defeitos, uns até que eu não sabia ter. Bate a porta e diz não poder mais “é muito castigo para um cristão”, mas você volta, sempre voltou... Quando a calma te toma, a tranquilidade te visita você se sente Buda em equilíbrio em cima dos montes, viver em paz.

 Mas você não quer viver em paz, não é? Quer fogo e veneno, quer ver a alma manchar. Viver no céu não satisfaz você quer mesmo viver na terra, quer que eu te sufoque com minhas pernas, meus braços, meus dramas... Os meus defeitos. 

É isso que você quer, o tédio te desestabiliza, precisa de alguém para fingir censurar, cuidar, amar. Essa paixão salva mais a você que a mim... Porque eu já me entreguei, já matei os meus demônios e aceito a sarjeta.

 Divido minha alma com os miseráveis. Você me faz bem, conserta quase tudo que anda quebrado aqui dentro. Poderia amar você, eu realmente poderia mudar, porém, eu sei que você não quer. 

Então vem, acabe com essa sensatez que não cabe a nós, enlouquece em mim. Porque overdose do meu corpo não mata, apenas condena ao inferno. Mas esse já é aqui. Então o que temer? 

Ama-me pelos meus defeitos e encontrarás minhas doces qualidades. Encontre em minha irracionalidade algo que te faça ficar. Minhas fantasias mais loucas, em nossas doses mais densas. Sou as volúpias de Vênus tentando chegar até a lua desnuda. E você astronauta de ferro a me explorar.


Tais Medeiros

Dentro dos seus grandes olhos lagos
Dentro dos seus grandes lábios logo
Dentro do seu grande peito fogo
Dentro de sua grande alma anjo
Dentro de seu corpo gente
Dentro de mim...

Nenhum comentário: