17/02/2016

Sessão poema - Parte IX [ Eu!!!! Morto vivo de olhos vazios. Não sinto mais as borboletas no estômago]



Um desejo...
Voltar a ter bandeira de luta.
Retornar as escritas que revolucionam.
Porém, tornou-se terráqueo.
Escrever sobre o interno fez se necessário.
... O individuo.
... O individualismo.
  ... Somente o eu.

[Conformismo visceral]

---
Que triste morte para o poeta.
Ele, logo ele...
Semeador de mentes.
Colhedor de sonhos.
Caminha arrogantemente para o fim. 
Nada mais justo para um covarde...

  [A extinção]
--- 
Poetisa sobre o dentro para se sentir salvo.
Sentimentos exilados... Fuga.
Desistir é fácil, existir também.
Viver que complica. 

      [A luta nossa de cada dia]
---
Esconde sua ignorância.
Maquia sua apatia.
Teme o ridículo, de ter alimentado uma falsa utopia. 
Poeta sem alma...
Eu!!!!
Morto vivo de olhos vazios.
Não sinto mais as borboletas no estômago.



Tais Medeiros

Nenhum comentário: