29/11/2015

Sessão poema - Parte V [Transcendendo]



Jean Francois Painchaud




Matei o romantismo e abusei do desapego.
Entreguei-me ao mundo sem valores.
Os pudores foram esquartejados.
O intimo foi solto, a boca intensa e o corpo voraz.
Não há cobrança ou julgamentos.
Salomé do gueto... Gení da vida...
Rasgando as roupas como se despisse a alma.

                                                  Transcendendo...

Entendendo o que poucos sabem...
O desespero não enlouquece, liberta.
A vida é o quanto você goza, não o que tem.
Riquezas e repressões não mudam sua sentença.
De que vale calar as vontades e emudecer pensamentos?
Enrolar se em um mundo que não acredita.
Sufocar seus momentos de felicidades.
São raros...
Viver sua própria filosofia não são para os fracos.
Fracos buscam cartinhas.
Senhores de si, escrevem suas histórias.
Existe mais valor e honra em noites de ópio celebrando a sua existência... Persistência.
Que ter vida longa enterrando se aos poucos no tédio dos Santos.



Tais Medeiros