19/05/2015

Tenho medo de Deus. Tenho medo do seu suposto poder, nos manipulando como peças de um tabuleiro. Devíamos prendê-lo. Não é isso que fazem com pessoas que possuem tamanho poder? Eu andei na linha, fiz as minhas orações, mas do que me valeu? São provações que você precisa passar... Então não adianta ajoelhar? Ele não mudará o roteiro essa é a minha cena. O por quê? [é uma pergunta que jamais será respondida] [TEXTICULO11]


Há uma guerra dentro de mim.

                        Onde palavras e pensamentos não se aliam.
A mente pensa incansavelmente no bem, mas a boca propaga o mal.

[não sei quem sou]

Carrego o desespero do mundo nas costas, calo a importância que isso tem.

[apatia é o que desejo]

Apatia a tudo a vida, passar os dias assim, sem um pingo de importância.
Alguém sofre! Ta bom.
Alguém ama! Ta bom.
Alguém morre! Ta bom.
Com isso a dor não existiria mais. Está tudo bom...

Mas essa pobre empatia existe, pondo-me no meio de tudo...

[essa força maldita, esse não se omitir, essa doença de querer salvar todo mundo]

- Síndrome de Messias?


- Não tenho salvação...

- Empatia ou culpa?

- Talvez medo...


Tenho medo de Deus.
Tenho medo do seu suposto poder, nos manipulando como peças de um tabuleiro.
Devíamos prendê-lo. Não é isso que fazem com pessoas que possuem tamanho poder?

- Eu andei na linha, fiz as minhas orações, mas do que me valeu?

- São provações que você precisa passar...

- Então não adianta ajoelhar? Ele não mudará o roteiro essa é a minha cena.


O por quê?
[é uma pergunta que jamais será respondida]

Não quero mais brincar de pecado e pecador. Se for para viver no inferno já peço as contas e vendo à alma, pelo menos não terei que me iludir em ser bom, alcançar a plenitude da paz.

Eu não sei se quero a paz. Penso que nunca quis.
[me doutrinaram assim]

Engraçado é que eu tenho amor, amor pelos meus.

Será que alguém consegue nascer sem isso?
[eu não consegui]

Apesar das pessoas não acreditarem eu amo, talvez não como a grande maioria, não como nos contos da Disney, mas amo. Amo de forma diferente.

- O amor mata?


O meu machuca e acolhe, está em mim, as duas faces.
Eu sou sua doença, seu remédio e nada será pela metade.

Mesmo sem saber no que acredito rezo pelos meus. Trevas são como bares, um eterno embriagar.
[o que não suporto é o desespero dos que fazem parte de mim]






Tais Medeiros


Ouça um bom conselho
Que eu lhe dou de graça
Inútil dormir que a dor não passa
Espere sentado
Ou você se cansa
Está provado, quem espera nunca alcança

Nenhum comentário: