05/04/2015

Ele me fitou como se falasse me chupa. Eu a sua frente me senti uma virgem a espera de ser tomada e penetrada profundamente, continuava me olhando e comendo um prato de baião de dois, comia e me observava com uma fome voraz eu sentia arrepios e sentia que ele queria que eu fosse aquele feijão com arroz no qual ele mastigava e engolia com tesão. REVISANDO [TEXTICULO 02]

Ele me fitou como se falasse me chupa. Eu a sua frente me senti uma virgem, esperando ser tomada e penetrada profundamente, continuava me olhando e comendo um prato de baião de dois. Comia e me observava com uma fome voraz eu sentia arrepios, sentia que ele queria que eu fosse aquele feijão com arroz no qual ele mastigava e engolia com tesão. Ele me quer eu sei, sentia isso a cada gole que ele dava na cerveja deixando escorrer gotas pela boca e caindo sobre a camisa. Minha cabeça louca, imaginando o momento que ele jogaria aquele prato no chão e me tomaria em seus braços, tomaria não, me jogaria em cima da mesinha de centro e me penetraria de todas as formas possíveis. Eu fico toda molhava só de pensar, eu o queria mesmo sendo um cara de 50 anos, barrigudo, grisalho e com dois dentes na frente, mesmo sento marido de minha de mãe. Eu me levantei e entrei na sua frente estava de vestidinho branco e sem calcinha me curvei para pegar o controle numa posição de cachorrinho rezando para que ele me grudasse por trás e me fizesse sua amante, de repente ele falou.


- Oh! Minina saí da frente... É o CORINGÃO.

Confesso que não esperava essa atitude, mas sei das artimanhas de homens mais velhos, fingem não ter interesse para aumentar a expectativa de meninas que não tem nenhuma aventura na vida, brincam com nossa sede de fazer, com o que pode. Não desistir sai de sua frente meio encabulada e fui à cozinha lá pensei.

-Ele está fazendo um jogo, um homem vivido sem mulher há um mês.


Mamãe estava na casa de vovó que andava muito doente

 – Ele não deve estar se aguentando para descarregar todo seu gozo e quase não sai de casa, não há como está descarregando em outro alguém.

Foi quando fui tomada pela brilhante ideia. Meu vestido é branco, transparente, fingir lavar a louça e soltei a parte de cima da torneira, a água voava para todos os lados me molhando um vento frio do interior, meu vestido transparente gritei meu padrasto que para meu espanto vinha se rastejando. Quando entrou na cozinha olhou-me com cara de espanto, percebi que ele não contém a excitação de me ver com o vestido transparente seios a mostra e de "piquinho" duro se aproximou perplexo, pois ao meu lado arrochou a parte de cima da torneira, Ah! Como queria ser aquela torneira, me olhou nos olhos e eu já com a respiração ofegando olhei nos olhos dele já com minha mão em meus peitos só esperando ele me levantar e colocar em cima da pia e meter em mim, ele diz.

-Ta louca menina, você acha que to cagando dinheiro pra pagar conta de água. Como que você consegue essa proeza? Ave Maria, vai trocar de roupa.

Sai da cozinha toda frustrada e molhada em todos os sentidos.  Não consiga entender, que raio de homem é esse que fica sem mulher um mês, não sai de casa pra nada, apenas vai  à venda e voltar eu aqui no puro tesão, uma pessoa boa esquecendo que ele é marido de minha mãe querendo ajudá-lo aliviar o estresse, não me contive o tesão que fluía em meu corpo virou raiva. Vou apelar, humilhar, chamar ele de  VIADO ele ia me comer mesmo que fosse por raiva por desconfiar de sua masculinidade. Corri até a sala ele não estava, olhei na cozinha não estava escutei um barulho no quintal dos fundos pensei será um sexo ao ar livre, selvagem. Quando saio no quintal me deparo com uma cena horrenda e confesso que senti inveja, uma cabritinha gemendo e meu padrasto em cima dela mando ver. Não entendi por que a cabrita e não eu? Ele percebeu que eu estava olhando entrei correndo ele demorou um pouco entrou sem graça e disse.

-O que foi só rico pode ser pansexual?


Então isso é pansexual? Que frustração pensei que pansexual era uma olimpíada de sexo, jogos eróticos estilo os Jogos Pan-americano. Hum! Até que o vizinho tem um cavalo bonitinho.

Tais Medeiros

Comer tatu é bom, que pena que dá dor nas costas
Porque o bicho é baixinho, e é por isso que eu prefiro
as cabritas
As cabrita têm seios, que alimentam os seus
descendentes

Nenhum comentário: