28/04/2015

Esquete - Das DR de Bar [Texticulo 08]

-Eu lhe trai.

-Foi bom? Vai ficar com ela?

-Não. Foi uma besteira sem significado, bebedeira.

-Por que está me contando?

-Por que não quero mentir para você... Eu te amo.

-Tudo bem.

-Você já me traio?

-Ainda não.

-Vai se vinga?

-Meu bem! Se eu te trair,  não será por vingança, será por tesão, vontade, desejo, fogo na piriquita. E quando fizer não vou lhe contar, mas deixarei você descobri, para que você me odeie,  me deixe, pois não vou lhe querer mais.

-Isso soa como vingança.

- Você me contou a traição por que realmente não significou nada e com essa [Azinha] não vai repetir com ela, então me contou por que seria mais fácil de perdoar, por causa da sua sinceridade. Você sabe que eu descobriria. Eu perdoo, porem não meu iguale a ninguém. Não lhe trai, isso não quer dizer que não o faça e se fizer será por desejar outra pessoa, será feito com a mesma consciência que te perdoo agora.

-Então... Vai beber o que?

-Caubói para esquentar.

-Eu amo você.

-Eu também te amo, ainda...

Tais Medeiros

Enfim
Hoje na solidão ainda custo
A entender como o amor foi tão injusto
Pra quem só lhe foi dedicação

Pois é, e então..







11/04/2015

Casos e acasos:EPAAAA!!! Você que está levando tudo que eu digo para esse lado, não falei de sexo, apenas disse que eu estou acessível neste momento para você falar o que você está enrolando para falar. É sabe de uma coisa? Não fale mais porra nenhuma, você queria uma briga então terá, levante dessa cama e vá dormi no sofá, vou ficar devendo o sexo apoteótico e não me venha com essas conversas sem pé e nem cabeça... NÃO SOU OBRIGADA. [TEXTICULO 07]

 - Você sempre foi assim ou ai dentro já bateu um coração?

Foram as palavras que ouvi de um cara com quem estava saindo. Não acreditei na hora, pois ele nunca me dirigiu palavras ofensivas a não ser nos momentos propícios. Estranhei o comportamento e logo pensei: Muita petulância o cara vim querer cuspi no prato que esta comendo. Respirei fundo e tentei ser o mais controlada possível.

- Assim como?

- Distante.

- Não sou distante. Nos vemos todos os dias, você dorme aqui quatro noites por semana, vamos ao cinema, teatro, jogo de futebol e as vezes até damos uma fugidinha dessa selva de pedra. Pergunto como foi seu dia, como está à família e como anda o projeto. Acredito que dentro disso tudo eu estou super presente, envolvida, excitada e alegre.

- Concordo, mas quando digo ausente é nas pequenas coisas.

Lá vem! Odeio esse papo de pequenas coisas, não gosto de pequenas coisas, do simples sou o exagero, gosto do demasiadamente demasiado.

- Francamente, não sei do que está falando?

- Das pequenas coisas que mudam o dia, uma mensagem, um telefonema, sei que você está viva por que venho te ver.

Noticia ruim chega rápido amor, não se preocupe caso eu morra você está VIP no enterro.

- Se você almeja saber se estou viva então ligue, mande mensagem tenha certeza que será respondido caso eu não tenha morrido.

- E você nunca falou em voltar em casa depois daquele meu aniversário.

- Faça outro churrasco ou apenas me convide.

- Você tem medo.

Fudeo!

- Medo?

-É medo de se envolver.

Que porra é essa... Acho que os papéis estão trocados aqui. Aonde esse boy quer chegar? Pensei que estávamos na pegada do relacionamento moderno, aberto, sem cobrança, paranoia, ciúmes. Não era para ser assim? Um relacionamento que não sufoca, não demanda responsabilidade. Lembra meu bem? “A LIBERDADE É A BASE DE TUDO” você que disse, você que quis.

- Está sentindo falta do que amor?

- De sufoco, brigas, grito, drama, choro e depois um sexo apoteótico para fazemos as pazes.

O que será que tinha no drink? Estou tendo algum tipo de alucinação?

- Querido... Não há tempo para isso...

- Você já pensou em mudar o status do seu facebook?

O que é isso? Nova forma de pedir alguém em namoro? Como será o de casamento, vamos usar o mesmo face tipo Fulano AMA Sicrano.

- Amor pare de rodeios e diz o que você está tentando dizer. Não quero ficar a noite toda brincando de “De frente com Gabi” existe algumas coisas que eu adoraria fazer com você ainda essa noite se for possível.

- Você é intocável, inacessível...

- Meu bem sou super acessível, estou acessível nesse momento.

- Tudo você leva para o sexo.

- EPAAAA!!! Você que está levando tudo que eu digo para esse lado, não falei de sexo, apenas disse que eu estou acessível neste momento para você falar o que você está enrolando para falar. É sabe de uma coisa? Não fale mais porra nenhuma, você queria uma briga então terá, levante dessa cama e vá dormi no sofá, vou ficar devendo o sexo apoteótico e não me venha com essas conversas sem pé e nem cabeça... NÃO SOU OBRIGADA.

- Está mostrando quem você é.

- O que? Maluco.

- Não vou sair de cena, essa é a hora do meu monólogo onde eu reflito sobre nós e chego à conclusão que te amo e peço você em casamento.

- Então eu aceito e fazemos o tal sexo apoteótico até amanhecer, mas precisava dessa psicologia toda?

- Claro! Precisava de uma motivação para achar a inspiração para a personagem.

- Como?

- Meu teste, lembra? Vai ser na sexta eu precisava achar o eu na circunstância para criar as intenções, ações, monólogo interno para à personagem. Será uma esquete de casal.

FILHA DA PUTA...

- E achou?

- Sim querida, você sempre me ajudando mesmo sem saber.


Atores! Que merda...



Só para ver se consigo dizer que te amo
e quero me casar!
Mas você diz que não e eu decido te matar
eu sei que é uma pena eu queria me casar!
mas foi assim que você quis!

Tais Medeiros


08/04/2015

Sabe amiga, vou te contar uma lastima minha, para você entender o que falo. Eu estava em um bar e conheci um cara muito legal, rimos a noite inteira, gostávamos das mesmas coisas, me peguei pensando várias vezes – Poxa que cara legal. Mas então fiz a merda, ao invés de seguir o roteiro, bar e motel, castrei meu instinto e fui para casa como uma dama virgem pronta para casar. Foram alguns dias de mensagens, curtidas e marcação em redes sociais, eu parecia uma menina de 14 anos bestificada com aquele ser. Expectativa a mil para no grande dia... Cinco minutos serem o bastante para eu querer sumir daquele quarto. [TEXTICULO 06]

Eu estava lá rodeada de duas fêmeas Alfas, independentes e com histórias dignas de um filme de Woody Allen. Falavam, falavam e eu observando. Não importa quantos sutiãs essas mulheres queimem seus assuntos sempre enveredam para HOMENS.

É reunir ao redor de uma mesa que o assunto é BOYS - “Boy magia que deseja sair” “Boy não magia que não quer sair” “Boy magia finado” “Boy magia novo” e blá blá blá."  Na mesa  ao lado percebo a presença de alguns machos Beta.  Então entro em um debate psicológico.

Será que eles fazem o mesmo? Será que eles entre um futebol e outro, uma política e outra, falam de mulheres? Sei lá... “A que querem comer” “A que já comeu” “A que não vale a pena comer” “A que é bonita” “A que é inteligente mais frigida” e as “feminista” na mesa ao lado tomando cerveja - Devem ser tudo sapatona!

O assunto no bar não era nenhuma novidade, sempre tem uma querendo sobressair, contar vantagem e outra sempre a contar desgraçada, entre os mortos e feridos fico como coveira, cobrindo com terra os corpos desfigurados. Minha maldita querida estava se queixando do seu ultimo encontro.

- Ficamos naquele lenga, lenga... Mensagens, curtidas. Eu o conheci na saída de uma de balada, cancelou o taxi para me acompanhar até o metrô, era um fofo. A empresa que ele trabalha presta serviço para minha.

E o que essa maldita está reclamando? Conheceu o cara numa balada CARAAAAA, ele ia utilizar um taxi até Ferraz de Vasconcelos, repito táxi até FERRAZZZZ, certo que ele cancelou para caminhar até o metrô, podia ter levado ela de táxi até em casa, mas hoje as pessoas gostam de se mostrar simples, ostentação é para o baile funk. Um cara bonito nas fotos, bem sucedido. O que esse DIABO fez de errado?

- Me levou ao COMEDIANS no primeiro encontro, pagou tudo foi até legal por causa do STAND UP. Mas ele ficou longe, sem beijo, abraço ou aperto de mão, nem uma apertadinha na coxa por debaixo da mesa. Eu poderia massagear seu pau por debaixo daquela mesa, enquanto riamos das lorotas do ator falido, mas não ele estava muito longe para eu alcançar o membro de ouro. No fim tive eu que beija-lo e depois um bay, bay e um tchau ponto final... Nesse chove não molha dormi seca e acordei insuportável.

Ela estava virada nas setes pragas do Egito com o bom moço. É os tempos estão mesmo modernos, as mulheres um pouco “casuais” e os homens “sensíveis” sempre guerra dos sexos. As mulheres hoje querem aventuras, será que é para provar sua independência ou é apenas dor de cotovelo? Afinal essa minha maldita amiga tinha terminado um namoro de 4 ou 5 anos com uma cara que por muito tempo pensei ser produto de sua imaginação. Talvez ela esteja na sede de recuperar o tempo que acha que perdeu.

Mulheres vão entender! Se fossem boas, eu tinha uma. Não tive muita paciência com aquilo e ao invés de dar apoio, difamar o bom moço disse:

- Isso é sua culpa, se está com vontade de trepar ou massagear o pau dele, nunca, jamais em hipótese alguma deixe o mesmo escolher o role. E isto não é uma regra é um dogma para as mulheres que querem deixar ser usadas. O local do primeiro encontro deve ser o BAR. O álcool nosso companheiro, nossa foda máster vai tornar tudo agradável.

O primeiro encontro no bar vai definir muita coisa como: Quero ver ou não ver esse ser de novo?
Se o cara for bom, marca um novo encontro em um lugar reservado para vocês conversarem sobre vocês e suas vidas medíocres.  Caso ele não tenha um desempenho tão bom assim, beijos amor, foi bom, mas não.

- Sabe amiga, vou te contar uma lastima minha, para você entender o que falo. Eu estava em um bar e conheci um cara muito legal, rimos a noite inteira, gostávamos das mesmas coisas, me peguei pensando várias vezes – Poxa que cara legal. Mas então fiz a merda, ao invés de seguir o roteiro, bar e motel, castrei meu instinto e fui para casa como uma dama virgem pronta para casar. Foram alguns dias de mensagens, curtidas e marcação em redes sociais, eu parecia uma menina de 14 anos bestificada com aquele ser. Expectativa a mil para no grande dia... Cinco minutos serem o bastante para eu querer sumir daquele quarto.

Sim! O bom humor e inteligência do rapaz não foram o bastante para um terceiro encontro, se tivesse seguido meu roteiro, tinha poupado dias de masturbação. Se você quer? Então conspire a favor. O homem não é obrigado a saber tudo, nem o que se passa nessa sua cabeça bipolar, trabalhe a favor de você. Quer sair e transa? Faça.

Não fique esperando que façam por você. Do mesmo jeito que as mulheres estão levadas por instinto os homens podem estar sendo levados pelas emoções ou os sacanas querem mesmo é nos matar na unha.

"Ela quer viver sozinha sem a sua companhia
E você ainda quer essa mulher" ...
Tais Medeiros

07/04/2015

Sei que você gosta de brincar, de amores, mas ó, comigo SIM... Comigo SIM! - [TEXTICULO 05]



Entrei no bar a fim de afogar o arrependimento, não do que fiz, mas do que deveria ter feito. Realmente eu deveria ter ateado fogo naquele meliante. Entre uma dose e outra fiquei pensando em diversas maneiras de me vingar, apenas a imagem dele queimando me satisfazia, gosto de fogo, gosto de queimar coisas apesar de nunca ter queimado algo ou alguém.

O bar não estava muito cheio e a banda tocava MPB parecia ter sido enviada por ele até ali para enfiar os dedos em minhas feridas, dilacerar com músicas de amores falidos. O vocalista tinha uma bela voz, não chegava ser um Milton, mas cantava bem, percebo que o mesmo não tirará os olhos de minha mesa desde que cheguei então como não tinha nada a perde comecei a retribuir os olhares. Afinal algo teria que acontecer, se não for uma transa pelo menos pague a conta.

Ele não veio. Ficou rodeando, rodeando igual um cachorro ajeitando-se para marca território. Minha tatuagem é uma aliada dos homens que desejam aproximar de mim. Já sabem o que dizer para começar uma conversa casual e com ele não foi diferente.

- Oi! Tudo bem? Você faz teatro?

Não. Eu estudo teatro, quem faz teatro é engenheiro, pedreiro esses caras.

- Sim.

- Nossa que legal. Sempre quis fazer, para ter mais propriedade no palco.

Ele ficou ali parado em um silêncio constrangedor então eu que não sou dotada de muita paciência e odeio me senti acuada pedi para ele sentar. Conversamos sobre tudo, música, filmes, teatro uma conversa muito agradável, mas à medida que eu ia ficando podre de bêbada o intelectualismo começava a ficar chato e ele nada de se aproximar a cadeira ali a léguas de distancia de mim.

Não era um rapaz que bebia, parecia que não tinha vicio nenhum, ficou me olhando fumar, beber e falar, falar pelos cotovelos – Será que ele não se enche? Aquela sobriedade dele começou a me incomodar, acabando com toda a libido que eu estava exalando. Recuei, disse que precisa ir, pois teria ensaio no outro dia. Ele não tentou me convencer a fica ou ir para outro lugar, me deu um beijo no rosto e pediu o whatsapp. Levantei minha bandeira branca e sair, depois de ter concedido ao simpático rapaz o meu número, paguei a conta e voltei aos meus planos de vingança.

O tal “zap, zap” toca freneticamente nas primeiras horas do dia, uma ressaca apocalíptica, um barulho infernal, mensagens atrás de mensagens. Por que raios as pessoas não escrevem de uma vez só, tem que ficar mandando tudo picado nessa porra. Ao pegar aquele satanás em terra deparo-me com aquelas mensagens carinhosas que faria qualquer mulher normal sair da cama levitando como naqueles comerciais ridículos de absorventes que fazem as mulheres ter um dia super feliz, mas como eu disse mulheres NORMAIS.

- Bom dia anjo ruivo. Gostei muito de conhecer você – Você é uma mulher diferente fora dessa caixinha (Sim ele escreveu caixinha) que é a sociedade – Você é autêntica e linda – Podíamos... Sei lá... Sair para jantar?

JANTAR?????

Ahhh!!! Amor assim você me castra... Jantar não. Vou te dar uma dica e uma segunda chance

#Bar.

Não. Eu não respondi isso. Disse que gostei também, o que não é mentira, ele foi uma companhia ótima... Respondi que na melhor hora marcaríamos, porem não marcamos, tudo ficou ali conversas rápidas pelo “zap, zap” eu acredito que é melhor. Tive a impressão que esse bom rapaz não gosta de brincar de amores, justo, não para mim.

Sei que você gosta de brincar, de amores
mas ó, comigo não.. Comigo não!

Tais Medeiros.

05/04/2015

Ele me fitou como se falasse me chupa. Eu a sua frente me senti uma virgem a espera de ser tomada e penetrada profundamente, continuava me olhando e comendo um prato de baião de dois, comia e me observava com uma fome voraz eu sentia arrepios e sentia que ele queria que eu fosse aquele feijão com arroz no qual ele mastigava e engolia com tesão. REVISANDO [TEXTICULO 02]

Ele me fitou como se falasse me chupa. Eu a sua frente me senti uma virgem, esperando ser tomada e penetrada profundamente, continuava me olhando e comendo um prato de baião de dois. Comia e me observava com uma fome voraz eu sentia arrepios, sentia que ele queria que eu fosse aquele feijão com arroz no qual ele mastigava e engolia com tesão. Ele me quer eu sei, sentia isso a cada gole que ele dava na cerveja deixando escorrer gotas pela boca e caindo sobre a camisa. Minha cabeça louca, imaginando o momento que ele jogaria aquele prato no chão e me tomaria em seus braços, tomaria não, me jogaria em cima da mesinha de centro e me penetraria de todas as formas possíveis. Eu fico toda molhava só de pensar, eu o queria mesmo sendo um cara de 50 anos, barrigudo, grisalho e com dois dentes na frente, mesmo sento marido de minha de mãe. Eu me levantei e entrei na sua frente estava de vestidinho branco e sem calcinha me curvei para pegar o controle numa posição de cachorrinho rezando para que ele me grudasse por trás e me fizesse sua amante, de repente ele falou.


- Oh! Minina saí da frente... É o CORINGÃO.

Confesso que não esperava essa atitude, mas sei das artimanhas de homens mais velhos, fingem não ter interesse para aumentar a expectativa de meninas que não tem nenhuma aventura na vida, brincam com nossa sede de fazer, com o que pode. Não desistir sai de sua frente meio encabulada e fui à cozinha lá pensei.

-Ele está fazendo um jogo, um homem vivido sem mulher há um mês.


Mamãe estava na casa de vovó que andava muito doente

 – Ele não deve estar se aguentando para descarregar todo seu gozo e quase não sai de casa, não há como está descarregando em outro alguém.

Foi quando fui tomada pela brilhante ideia. Meu vestido é branco, transparente, fingir lavar a louça e soltei a parte de cima da torneira, a água voava para todos os lados me molhando um vento frio do interior, meu vestido transparente gritei meu padrasto que para meu espanto vinha se rastejando. Quando entrou na cozinha olhou-me com cara de espanto, percebi que ele não contém a excitação de me ver com o vestido transparente seios a mostra e de "piquinho" duro se aproximou perplexo, pois ao meu lado arrochou a parte de cima da torneira, Ah! Como queria ser aquela torneira, me olhou nos olhos e eu já com a respiração ofegando olhei nos olhos dele já com minha mão em meus peitos só esperando ele me levantar e colocar em cima da pia e meter em mim, ele diz.

-Ta louca menina, você acha que to cagando dinheiro pra pagar conta de água. Como que você consegue essa proeza? Ave Maria, vai trocar de roupa.

Sai da cozinha toda frustrada e molhada em todos os sentidos.  Não consiga entender, que raio de homem é esse que fica sem mulher um mês, não sai de casa pra nada, apenas vai  à venda e voltar eu aqui no puro tesão, uma pessoa boa esquecendo que ele é marido de minha mãe querendo ajudá-lo aliviar o estresse, não me contive o tesão que fluía em meu corpo virou raiva. Vou apelar, humilhar, chamar ele de  VIADO ele ia me comer mesmo que fosse por raiva por desconfiar de sua masculinidade. Corri até a sala ele não estava, olhei na cozinha não estava escutei um barulho no quintal dos fundos pensei será um sexo ao ar livre, selvagem. Quando saio no quintal me deparo com uma cena horrenda e confesso que senti inveja, uma cabritinha gemendo e meu padrasto em cima dela mando ver. Não entendi por que a cabrita e não eu? Ele percebeu que eu estava olhando entrei correndo ele demorou um pouco entrou sem graça e disse.

-O que foi só rico pode ser pansexual?


Então isso é pansexual? Que frustração pensei que pansexual era uma olimpíada de sexo, jogos eróticos estilo os Jogos Pan-americano. Hum! Até que o vizinho tem um cavalo bonitinho.

Tais Medeiros

Comer tatu é bom, que pena que dá dor nas costas
Porque o bicho é baixinho, e é por isso que eu prefiro
as cabritas
As cabrita têm seios, que alimentam os seus
descendentes